Conheça a padaria que aumentou em 200% o ticket médio de clientes fidelizados

Com Collact há dois anos, a Bella Focaccia é um exemplo de sucesso para pequenos estabelecimentos. Diferente de grandes padarias e panificadoras, o modelo de negócio é o slow food e, por isso, busca fazer produções de menor escala e evitar o desperdício. 


Hoje, a empresa tem mais de 400 clientes cadastrados, com ticket médio 200% mais alto que o dos clientes não cadastrados. Além disso, clientes recorrentes representam 60% das vendas do negócio. 

João, fundador da Bella Focaccia


Antes da Collact, João, fundador da Bella Focaccia, conta que nunca teve um modelo de fidelidade ou de ofertas automatizadas. Segundo ele, seu sócio tentou colocar os cartõezinhos de fidelidade como forma de beneficiar seus clientes, mas decidiram que era um modelo muito complicado.


“Temos muitos clientes que não sabem o que é cashback, mas a gente sempre explica”, afirma João. “Tem pessoas que são aficionadas e sempre que vêm, resgatam os créditos”. Para ele, oferecer o programa de fidelidade com 5% de cashback é o que mais faz os clientes quererem voltar — e gastar.

“Tem uma cliente que antes tinha um ticket médio de 50 reais, hoje ela já gasta 200 reais por semana”, conta.


Mas, além dos créditos, o João usa a Collact como termômetro do seu negócio. “O caso do pão é muito complexo, cada um gosta de um jeito”, afirma. Por isso, o empreendedor sempre incentiva seus clientes a finalizar seu cadastro e fazer uma avaliação


Como uma viagem virou um negócio de sucesso


“Nosso rolê é bem diferente do que as pessoas estão habituadas”. É assim que o João define a Bella Focaccia. Aberta há 4 anos, a empresa brasiliense nasceu de uma insatisfação com a monotonia de seu antigo emprego. 


Nascido e criado na fazenda de seus avós, João cresceu entendendo a importância dos alimentos naturais. Mas foi durante uma viagem para Itália que ele descobriu o movimento slow food e decidiu voltar às raízes. Fundado em 1986, o movimento tem como objetivo promover uma maior apreciação pela comida — indo de encontro com a produção feita por multinacionais. 


Apaixonado pelo movimento, João decidiu ficar na Itália por mais um tempo para estudar mais e desenvolver suas habilidades culinárias. E na volta para o Brasil, decidiu abrir a Bella Focaccia. No início, era apenas um perfil no Instagram, mas com o tempo fazer os pães só nas horas vagas não era o suficiente e João decidiu fechar a panificadora. 


Foi só depois de um ano que ele decidiu retomar o negócio. “Fiz um modelo de negócio, pleiteei recursos e montei a Bella Focaccia de novo”, conta. “Tudo isso enquanto eu aprimorava minha técnica”.


Segundo ele, todos os pães são de fermentação natural lenta e a frio — levando até 3 dias para fazer cada pão. “É importante entender que cada alimento precisa do seu tempo”, diz o brasiliense. Além disso, era essencial que seu negócio se destacasse no meio. “Quero fazer uma coisa muito boa, que sinta orgulho e que tenha prazer em comer”.


E deu certo. Com a volta da Bella Focaccia, ele chegava a produzir 100 pães por dia. Isso porque além de vender para seus clientes fiéis, a empresa vende também para outras padarias e panificadoras da região. 


Jamile, uma cliente especial


Quando pedimos para João contar uma história de seus clientes, ele diz ser possível escrever um livro recheado de histórias com os clientes. Uma delas, é a da Jamile, uma carioca que sempre que visita Brasília, passa na Bella Focaccia pra comprar uma fornada de pão só pra ela.


Com diabetes, Jamile tem muita dificuldade de encontrar pães que não lhe façam mal. Mas com a Bella Focaccia foi diferente, já que o processo de produção faz com que o índice glicêmico do pão seja muito abaixo do comum. Por conta disso, e da amizade criada, hoje João produz pães especiais para a Jamile — com um adoçante especial para diabéticos.


A relação com a Jamile e todos os outros clientes é importante para o sucesso do negócio: João nos disse que, além de atrair os clientes com o cashback, o Programa de Fidelidade da Collact o ajuda a conhecer melhor os hábitos de consumo dos clientes e é importante para a tomada de decisões no negócio. E aí, o que você achou dessa história de sucesso?


Se assim como o João, você também quer conhecer melhor seus clientes, clique aqui para saber mais.


Você também pode gostar destes posts

voltar para o blog