Home / Marketing / Quais são as diferenças entre gelato e sorvete?

Quais são as diferenças entre gelato e sorvete?

Quando uma pessoa está pensando em montar o seu empreendimento, o mais comum e aconselhável é que ela escolha um segmento pelo qual tenha mais afinidade ou, então, uma área na qual tenha habilidades específicas para aquela atividade. Mas, ainda assim, sempre surgem dúvidas se aquele mercado é um bom investimento e se é possível ter o retorno financeiro esperado.

A grande verdade é que o caminho para o sucesso exige um bom planejamento. Deve-se agregar conhecimentos, especialmente de gestão, se você não domina o assunto, além de ter um espírito empreendedor e ter atenção às inovações que possam valorizar o seu negócio.

Não sabe qual caminho seguir? Fique sabendo que o crescimento do setor alimentício só aumenta a cada ano, e o seu leque de alternativas é bem diversificado. Nesse sentido, o ramo de sorvetes sempre apresenta expansões significativas. Mas quais os aspectos para se destacar nesse mercado?

No post de hoje, vamos analisar algumas diferenças entre a sorveteria clássica e gelateria italiana, que estão tanto na moda. Confira qual delas é a opção ideal para você!

Gelato e sorvete são o mesmo produto?

Não. Por mais que eles pertençam a uma mesma família, o sorvete e o gelato revelam características diferentes no processo de fabricação como um todo, o que naturalmente influencia o seu sabor.

Qual a origem de cada um deles?

Os primeiros registros do que mais se aproxima do sorvete, tal como conhecemos hoje, remontam há 3 mil anos, quando os chineses misturavam frutas e mel à neve.

A combinação foi se espalhando entre as civilizações e ganhou mais destaque ao ser levada do Oriente para Itália pelo explorador Marco Polo, em 1292, quando a forma de produção foi aprimorada, agradando muitas pessoas.

Quanto ao sorvete artesanal, os relatos são de que sua produção se iniciou no século XVII, como criação de um italiano denominado Francesco Procopio.

Quais as principais diferenças?

Além do processo de fabricação — o gelato não costuma ser feito em escala industrial, enquanto o sorvete pode ser fabricado dessa forma —, podemos destacar:

Quantidade de açúcar

A quantidade de açúcar utilizada na fabricação do gelato depende de cada sabor, uma vez que isso interfere diretamente no seu estágio de congelamento. Mas, se comparado com os açúcares adicionados nos sorvetes comuns, podemos dizer que o teor desse elemento é menor no gelato — em torno de 16%.

Gordura

Outro ponto que distingue os dois produtos é a fração de gordura que eles contêm. Enquanto os sorvetes industrializados chegam a atingir um percentual de 18% de gordura, os gelatos italianos são preparados com até 8%.

Além disso, a gordura usada no gelato é de origem animal, aquela que já está presente no leite. Nos sorvetes, é introduzida a gordura vegetal, geralmente hidrogenada.

Sabores

O sabor também é determinante quando se trata de diferenciar um gelato de um sorvete. Há uma expectativa que o artigo artesanal seja sempre elaborado com o balanceamento de ingredientes naturais, como frutas, o que dá um sabor mais fresco. Já nos sorvetes industriais clássicos,  é mais comum a utilização essências artificiais, até por uma questão de prazo de validade.

Qual é mais gostoso? Não tem resposta certa, são produtos diferentes. Mas é mais raro encontrar gelatos de má qualidade.

Temperatura

O gelato precisa ser mantido em temperaturas mais elevadas que o sorvete tradicional. E esse fator, associado à quantidade de ar inferior no modelo artesanal, causa a diferença de texturas.

Então qual deles é a melhor opção para investir?

Os sorvetes, de uma forma geral, são sobremesas que, há muito tempo, caíram no gosto de diferentes públicos, desde as criancinhas até os mais vividos. Já os gelatos, embora também sejam desejados por pessoas de todas as idades, por terem um custo de produção mais caro — e, consequentemente, um preço final mais alto —, devem atender a um público com maior poder aquisitivo.

Não importa se você vai abrir uma sorveteria ou uma gelateria, o essencial é pesquisar o mercado em que você atuará, além de conhecer seus clientes, estabelecer metas e desenvolver um plano de negócios. Esses fatores são os principais para fazer um empreendimento ser bem-sucedido.

Estude as necessidades do mercado

Entender o mercado no qual aplicará o seu dinheiro é indispensável para conseguir grandes oportunidades e evitar o seu fracasso.

Antes de qualquer decisão, amplie os seus horizontes e procure saber das tendências do mundo dos negócios, e não apenas do segmento que pretende investir.

Tenha o hábito de fazer questionamentos.

  • Quais lições posso tirar das experiências dos meus concorrentes?
  • Quem são os meus fornecedores?
  • A produção atende os desejos dos consumidores?
  • Esse setor tem um bom potencial de crescimento?
  • Este é o melhor momento econômico para abrir um negócio?
  • Como conquistar os meus clientes?

Uma avaliação de mercado feita com critério, sem dúvidas, colabora para que você tenha segurança ao executar suas atividades no empreendedorismo. Ela também ajudará nas estratégias para se sobressair em um ambiente de alta competitividade.

Foque na experiência e na fidelização dos seus clientes

Vivemos em um mundo dinâmico e, por melhor que sejam os seus produtos e serviços, sempre existe uma forma de inovar e elevar os padrões de qualidade.

Nesse sentido, a opinião dos seus clientes tem grande valor e pode direcionar para o caminho que você deve seguir. Afinal, ninguém melhor que o usuário na tarefa de reconhecer e apontar possíveis falhas.

Assim, prestigiar a interação com os consumidores facilita o entendimento de quais são as aspirações que eles têm do seu produto. Dedique-se para estabelecer uma relação próxima e amistosa, com um atendimento no qual eles se sintam especiais. Uma boa experiência faz com que o cliente queira manter continuidade do vínculo.

Como engajar os clientes com a proposta da empresa?

Do que adianta conquistar novos clientes se você não conseguir manter uma relação contínua com eles? A verdade é que, todos os dias, surgem novidades no mercado atraindo as pessoas, e se você não aprofundar o contado com o seu público, será difícil vencer a concorrência.

Atualmente, existem ferramentas estratégicas para fidelização de clientes, mas, para que elas funcionem, é necessário investir nesse relacionamento.

Não há programa que funcione se você não conhece seus compradores, se não sabe com que frequência eles estão presentes no seu estabelecimento e o que eles mais consomem.

Independentemente de qual a sua opção entre montar uma loja de sorvete ou uma gelateria, há espaço e demanda para todos que trabalham com dedicação e buscam aprimorar suas experiências. O importante é ter atenção às transformações e dedicar ao relacionamento com os clientes.

Agora que você aprendeu sobre as distinções entre o sorvete e o gelato, continue com a gente e saiba como abrir uma sorveteria de sucesso!

Deixe um comentário

Seja o Primeiro a Comentar!

Notificar de
avatar
wpDiscuz