Como a Panificadora Tayrona usa influenciadoras digitais para crescer

Publicado em:
21/1/2022

A Panificadora Tayrona existe há 23 anos. Comandada por Rose Nascimento, o negócio de Araraquara sempre buscou formas de inovar e crescer. Uma das maneiras de conseguir isso é por meio das influenciadoras digitais. A primeira oportunidade surgiu com uma amiga de Rose, que começou a divulgar o negócio sem formalizar nenhuma parceria.


“Eu sou apaixonada por esse universo”. 


Quando começou a panificadora, Rose fazia um trabalho parecido com o das influenciadoras, mas de maneira mais manual e localizada. “Eu ia nas lojas e empresas e deixava uma caixa com nossos produtos e o telefone para encomendas”, afirma. A partir daí, o nome Tayrona foi se espalhando pela cidade e os primeiros “influenciadores” foram os próprios clientes. Rose já contou com cerca de 10 influenciadoras trabalhando para o seu negócio.


Pedro Nakano, gerente de projetos na Collact, conta que a Rose não é a única a sentir esse resultado. “O universo de influenciadores tem se profissionalizado”, afirma ele. Segundo pesquisas do mercado, são 100 milhões de usuários brasileiros no Instagram e estima-se que 1 milhão seja de influencers — isto é, perfis ativos e abertos que tenham mais de mil seguidores.


“O público é muito grande e muito interessado”, conta. Segundo um estudo do IBOPE, o perfil de consumo do brasileiro valoriza a indicação e metade dos entrevistados já comprou algo depois da indicação de amigos, familiares e perfis das redes sociais


Mesmo com o cenário positivo, muitos pequenos negócios ainda têm dificuldade de entrar nesse mundo. Segundo uma pesquisa feita com empresas parceiras da Collact, os maiores desafios são: dificuldade de metrificar os resultados, de encontrar um bom influenciador e de formalizar propostas. 


A panificadora encontrou um caminho para driblar esses obstáculos. Para medir os resultados das ações feitas, elas ficam atentas aos produtos divulgados. “Assim que as influenciadoras falam sobre algum salgado, já recebemos pedidos da mesma mercadoria”, conta Thainá Nascimento, filha de Rose. 


“O resultado não é o clique, é a compra”.


Além disso, a dupla se baseia em um princípio simples: “o resultado não é o clique, é a compra”. Assim, elas conseguem enxergar com mais tangibilidade quais campanhas e influencers deram certo ou não. “Ficar de olho no produto que o influencer divulgou e ver se as compras aumentaram ou não é a melhor métrica”, afirma Pedro.


Já para encontrar boas influenciadoras (e que façam sentido para a panificadora), Rose faz um trabalho constante de análise de perfis. Segundo ela, é essencial que todas as influenciadoras sejam bem escolhidas e tenham fit com a panificadora. “Acompanho o trabalho de todas, a postura, o perfil e as parcerias”, conta a empresária. Para ela, o que menos importa é o número de seguidores. 


“Não adianta ter um milhão de seguidores e não frequentar minha loja”, afirma. 


Analisar outras parcerias que a influencer já fez ou está fazendo é uma boa maneira de conhecer o trabalho do perfil. Leve em consideração fatores que são importantes para você e para o seu negócio. No caso da panificadora, por exemplo, Rose sempre procura influenciadoras bem-humoradas para facilitar o acesso aos clientes.

Exemplo de parceria que a Padaria Tayrona fez com uma influenciadora digital


O último desafio mencionado pelos parceiros da Collact foi a dificuldade de formalizar propostas e preços com as influenciadoras. Muitos empreendedores acreditam que fazer ações de marketing de influência é caro e impensável para pequenos negócios, mas não é bem assim.

Clientes voltam mais em padarias com Programa de Fidelidade! Saiba mais

“Existe um apetite muito grande para fazer parcerias” afirma Pedro. Segundo ele, a ideia de que fazer campanhas com influenciadores é muito caro não passa de um mito. “A maioria dos influenciadores já tem um mídia kit e abrem possibilidade de negociar”, conta ele. A dica é: fale o que você tem a oferecer, seja em produtos, serviços ou em dinheiro. O mais importante nesse processo é respeitar e valorizar o trabalho dos influenciadores. 


Rose concorda, para ela fazer campanhas de influência é um investimento acessível e de fácil negociação. “Eu vejo resultados diariamente, então faz a diferença”, conta.


Resumindo: fale com os influenciadores da sua cidade ou bairro e foque naqueles que têm fit com o seu produto. Crie campanhas bem estruturadas e pense em como você pode medir esses resultados. Não se esqueça que o trabalho é diário e não pode ser isolado de outras ações de marketing.


Barbara Bastos

Formada em Jornalismo, meu foco sempre foi em empreendedorismo  e negócios. Já trabalhei como repórter na revista Pequenas Empresas e Grandes Negócios. Hoje ajudo a tirar todas as suas dúvidas relacionadas aos mais diversos temas aqui no blog da Collact.

Você também pode gostar destes posts

voltar para o blog

Receba conteúdos Collact