cartao-fidelidade

Cartão de fidelidade ou Programa de Fidelidade: Qual o melhor para o seu restaurante?

Conheça as principais diferenças entre cartões de fidelidade e programas de fidelidade automatizados.
Publicado em:
17/5/2022

Todos os negócios (de todos os segmentos) estão buscando maneiras de fidelizar seus clientes. Isso porque o consumidor fidelizado, ou seja, aquele que volta sempre na sua loja, costuma ter um ticket médio mais alto e uma frequência de compras maior. Basicamente, é aquele cliente que escolhe sempre almoçar ou jantar no seu restaurante — independente de pequenas variações de custo.

Por isso, investir em sistemas que facilitem essa fidelização é essencial. Mas, qual formato escolher? Qual é o ideal para o seu restaurante e para sua estratégia de negócio? Abaixo, mostramos as principais diferenças entre o cartão de fidelidade de papel e os Programas de Fidelidade automatizados.

Antes de qualquer coisa: o que é um cartão fidelidade? Na prática, é um cartão impresso onde o cliente recebe um carimbo a cada compra e, ao completar todos os carimbos, ganha um desconto ou uma refeição gratuita. Ele não necessita de nenhum software de controle, apenas da impressão recorrente.

Já os programas de fidelidade são versões mais tecnológicas, que contam com cadastros, CRMs e, geralmente, aplicativos para o cliente.  Cada programa funciona de uma maneira, mas costuma ter uma proposta semelhante ao cartão: a cada visita o cliente soma pontos, cashback ou descontos para gastar nas próximas refeições. Além disso, não exige que o consumidor se lembre do cartão toda vez que for ao seu restaurante.

Vantagens e desvantagens

Cada um desses sistemas têm vantagens e desvantagens frente ao outro e, também, atendem diferentes objetivos — de acordo com o público-alvo e estratégia do seu restaurante. Planeje seus objetivos com a fidelização dos clientes e descubra qual o melhor formato para o seu negócio.

Custos

Geralmente, os programas de fidelidade automatizados usam o pagamento mensal, ou seja, o restaurante paga uma vez ao mês para ter acesso à ferramenta de fidelização. Esses valores variam de acordo com as funcionalidades que o programa oferece, como análise de dados, avaliações, comunicação com o cliente, entre outros. Na Collact, por exemplo, o custo ainda varia pelo número de transações de clientes participantes do programa. Saiba mais aqui.

Em compensação, o cartão fidelidade conta com custos diferentes como: criação do layout do cartão e impressão. Antes disso, faça um cálculo aproximado de quantos clientes passam pelo seu restaurante por dia e, portanto, quantos cartões você precisará imprimir — lembrando que, quanto mais unidades forem impressas, menor o custo por unidade.

Expiração dos benefícios

Uma ferramenta importante para gerar um senso de urgência nos clientes e fazê-los voltar com mais frequência é a expiração nos benefícios oferecidos. Isto é, dar um período para que o cliente cumpra as regras do programa e volte a fazer refeições no seu restaurante. Em programas de fidelidade, esse controle é feito pelo próprio software que calcula a data de expiração de acordo com as regras criadas por você.

nos cartões de fidelidade, deve haver um espaço para que o funcionário coloque a data de visita. Dessa maneira, sua equipe consegue manter um controle maior sobre quando haverá a expiração daquele benefício. Além disso, a equipe deve sempre passar essa informação para o cliente. Também é importante que isso esteja explicado no cartão.

Controle

Esse é um ponto importantíssimo na hora de selecionar qual formato você vai escolher. O programa de fidelidade conta com plataformas de controle dos dados, benefícios distribuídos, informações de resgate, receita incremental e muito mais. Com isso, você consegue ter uma ideia melhor do retorno de investimento que o programa está gerando para seu restaurante. Além de ter outras funcionalidades como avaliações dos clientes, que podem mandar feedbacks diretamente para você.

Mas, com os cartões de fidelidade é mais difícil ter esse controle. Isso porque a única informação que você tem é quantos cartões foram entregues e quantos retornaram. Não é possível saber: quem é o cliente, quanto ele gastou em cada visita e, se ele não voltar mais, você não terá como saber. Além disso, algo comum de acontecer é o cliente perder o cartão, o que também pode afetar suas métricas.

Dados dos clientes

A falta de necessidade de cadastro pode ser um benefício do cartão fidelidade, mas a longo prazo pode não ser tão positivo. Isso porque sem os dados dos seus clientes, você perde informações importantes como data de nascimento, nome e telefone. Ter isso em mãos é o que faz a diferença na hora de personalizar a experiência dos seus consumidores.

No programa de fidelidade, que geralmente requer um cadastro, você consegue conhecer melhor seu público e se comunicar com ele. Por exemplo, enviando promoções de aniversário ou mensagens para clientes mulheres no Dia Internacional da Mulher.

Conheça o Programa de Fidelidade da Collact!

Agora que você tem todas as diferenças entre os dois sistemas de fidelização, qual você acha que é melhor para o seu restaurante? Conte para gente qual você usa ou pretende usar com seus clientes e se deu certo!

Barbara Bastos

Formada em Jornalismo, meu foco sempre foi em empreendedorismo  e negócios. Já trabalhei como repórter na revista Pequenas Empresas e Grandes Negócios. Hoje ajudo a tirar todas as suas dúvidas relacionadas aos mais diversos temas aqui no blog da Collact.

Você também pode gostar destes posts

voltar para o blog

Receba conteúdos Collact